Digite o que você procura:

Programa capacita 120 jovens para inovação tecnológica

Por: Rosana Pinto - 28-11-2016

O programa Bolsa Trabalho da Prefeitura vai capacitar 120 jovens de baixa renda a usar a tecnologia para criar soluções e projetos para suas comunidades. Os bolsistas de 16 a 24 receberão treinamento e atuarão nos 12 Laboratórios Públicos de Fabricação Digital (FabLabs). A iniciativa tem como objetivo incentivar a inovação social e o empreendedorismo.
 
“Queremos que os jovens tenham uma formação e uma inserção no mercado de trabalho. É uma oportunidade de ter no currículo uma atividade que pode fazer diferença na vida profissional. É também uma chance de entrar para o mundo do empreendedorismo, de ter uma ideia, abrir uma microempresa e gerar renda”, afirmou o prefeito Fernando Haddad, na aula inaugural do programa.
 
Os Fab Labs são centros de pesquisa e de produção tecnológica que utilizam equipamentos de última geração como impressoras 3D, cortadora a laser e cortadora de vinil. A cidade de São Paulo é a primeira do mundo a ter uma rede pública desses laboratórios.
 
Durante um ano, os jovens participantes receberão formação em eletrônica, programação e fabricação digital, inclusive em contato com estudiosos da área. A ideia é que aprendam técnicas de prototipagem rápida e passem a ter capacidade de operar as máquinas dos laboratórios. Haverá ainda atividades de capacitação sobre o mundo do trabalho, cidadania e direitos humanos. A bosa poderá ser renovada por mais um ano.
 
O Programa Bolsa Trabalho – Juventude, Trabalho e Fabricação Digital é voltado a jovens que pertencem a famílias cuja renda per capita (por pessoa) seja equivalente ou inferior a meio salário mínimo. Os bolsistas devem estar matriculados em cursos vinculados ao sistema nacional de ensino ou ter concluído o Ensino Médio, inclusive profissionalizante. Todos os jovens receberão um auxílio mensal de R$ 1.012,00 para 136 horas mensais de atividades, valor que inclui auxílios transporte e alimentação.
 
Cada laboratório receberá um grupo de dez jovens, que serão responsáveis por projetos em articulação com grupos de juventude que atuam nos bairros. “Todo o processo de desenvolvimento vai ser em equipe, de uma forma colaborativa. Depois os projetos vão ser multiplicados no território, então cada núcleo vai atingir pelo menos mais 100 jovens. Serão atividades que vão desafiar os bolsistas a buscar soluções que contribuam para a comunidade”, disse Sandra Faé, secretária adjunta de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo.
 
Os laboratórios estão localizados em Itaquera, Penha e Cidade Tiradentes, Limão, Paraíso, Heliópolis, Anhanguera, Jardim Célia, Butantã, Jardim São Luís, Bela Vista e no Centro (Galeria Olido).
 
O programa recebeu 1.200 inscrições. A seleção garantiu que metade dos bolsistas seja de jovens negros ou de jovens mulheres, além de 25% de participantes que cumprem ou cumpriram medida sócio educativa e de 10% de imigrantes. Para participar, os candidatos devem estar desempregados, não ter registro em carteira nos últimos 6 meses e não estar recebendo seguro desemprego.
 
No perfil dos inscritos, a maior parte dos jovens está cursando ou já concluiu o Ensino Médio, estuda durante a noite e mora nas zonas leste ou sul. O programa atraiu o interesse de imigrantes de Angola, Síria, Haiti e Benin.
 
Saiba mais: http://capital.sp.gov.br/noticia/programa-da-prefeitura-capacita-120-jovens-para-inovacao-tecnologica



Buscar outras notícias:


Leia mais






É expressamente proibido a cópia ou utilização de textos ou imagens do site www.piritubaweb.com.br sem autorização por escrito.
Lei nº 9.610 de 19/02/1998