Digite o que você procura:

PARQUE ESTADUAL DO JARAGUÁ

Rua Antonio Cardoso Nogueira, 539
(acesso pela Rod. Anhanguera Km 18)
Tel. (11) 3941-2162 / 3943-5222
Aberto diariamente das 7h às 17h

 

O Pico do Jaraguá é o ponto culminante da cidade de São Paulo, elevando-se a uma altitude de 1.135 metros e encontra-se a Oeste da Serra da Cantareira. 

Nos seus arredores foi criado o Parque Estadual do Jaraguá, para conservação da área.

As primeiras notícias que se tem do local é que nele estava estabelecido o português Afonso Sardinha, bandeirante, caçador de índios, traficante, que descobriu vestígios de ouro no Ribeirão Itaí, no pico, por volta de 1580. No entanto, como os índios dominavam a região, travaram-se numerosas guerras contra os nativos. A mineração, portanto, só teve início dez anos depois.




O ouro do Jaraguá foi explorado até o esgotamento, no século XIX. Os garimpeiros deixaram visíveis marcas de sulcos e escavações nas rochas do pico.

Curiosidade: Jaraguá, em tupi-guarani, significa “senhor do vale”, mas há controvérsia entre os estudiosos e os próprios índios sobre o seu significado. A explicação mais comum é que seja “Senhor do Vale”. Pirituba também é uma contribuição do idioma indígena, e designa o tipo de vegetação que cresce em áreas de brejo. Também no sopé do Jaraguá, fica a casa – atualmente tombada - de Afonso Sardinha, onde ele morou até sua morte, em 1615. A exploração de ouro continuou até por volta de 1670, quando os filões começaram a se esgotar. Os mineiros que ali trabalhavam começaram a deixar a região, em geral em direção a Minas Gerais e Goiás.


Em 1946, a Prefeitura de São Paulo transformou o Pico do Jaraguá em ponto turístico da cidade. e em 1961, foi criado o Parque Estadual do Jaraguá, onde os visitantes podem conhecer as pias de lavagem manual do ouro ao lado das ruínas do grande casarão do próprio Afonso Sardinha.

 

O Parque Jaraguá tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico) em 1983.

Em 1994, o Parque Estadual do Jaraguá foi tombado pelo Patrimônio da Humanidade pela Unesco, passando a integrar a Zona Núcleo do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo, Reserva da Biosfera.

No topo, há duas grandes antenas, sendo uma de televisão, além de pequenas instalações comerciais e locais destinados a estacionamento de veículos.
Junto à antena de televisão, existe uma grande escadaria que permite subir ainda mais, ladeada por um bondinho que se destina ao transporte de pessoas e materiais para manutenção da antena.

Ao se atingir o topo, tem-se uma visão principalmente da parte Oeste da Grande São Paulo. Também pode ser avistado o Rodoanel Mário Covas, na parte posterior.

 Ainda hoje existem na entrada do Parque do Pico do Jaraguá uma aldeia formada pelos descendentes de tribos indígenas que moram no local, porém estão em total estado de penúria.
 
Uma atração à parte são os macaquinhos que ficam perto das lanchonetes. No alto do Pico do Jaraguá você pode fazer um lanchinho, mas vai ter que dividir com eles.

 

INFRAESTRUTURA
O parque tem posto de informações para visitantes, banheiros (limpos no dia da visita), lanchonetes, áreas para piqueniques, churrasqueiras, pista para skates, quadras poliesportivas, auditório, playgrounds, lago, Casarão Afonso Sardinha, trilhas e o ponto culminante de São Paulo( Pico do Jaraguá).

 

FAUNA
Grande variedade de aves como: tucano de bico verde, pica-pau branco, pica-pau de banda branca, pica-pau de cabeça amarela, pica-pau anão, martim-pescador grande, Martim pescador pequeno, Martim pescador verde, garça-branca, Garça Moura, socó, biguá, biguatinga, mergulhão, saíra-sete-cores, bem-ti-vi, beija-flor, periquito, João Barbudo, Gavião Carijó, Caracará, PavóTeiú.
Algumas espécies de mamíferos como: macaco-prego, veado-Mateiro, bicho-preguiça, jaguatirica, ratão-do-banhado, furão, quati, sagüi e outros.
Espécies variadas de répteis como lagartos, Teiú, Cagados, jabutis e cobra dentre as quais podemos citar a cobra coral e Jararaca.
Uma imensa variedade de espécies de insetos como borboletas e outros além de uma espécie endêmica.Muitas espécies de aranhas tais como, caranguejeira, aranha marrom, armadeira e outras.

 

FLORA
Remanescente da Mata Atlântica e também de espécies nativas e exóticas. Existem palmeiras, palmito-juçara, samambaiaçu, guapuruvu, paineira, figueira, jatobá, aroeira, cambará, gameleira, angico, quaresmeira, manacá-da-serra, ipê, cedro, jequitibá, Pau-Jacaré, Pau-ferro, araribá, embaúba, goiabeira, pitangueira, xixá, bromélias, orquídeas entre outras.

 





<-- Voltar

É expressamente proibido a cópia ou utilização de textos ou imagens do site www.piritubaweb.com.br sem autorização por escrito.
Lei nº 9.610 de 19/02/1998